• Angelo Davanço

Conheça Jéssica Macedo, 25 anos e 60 livros lançados

Autora mineira começou a escrever aos 14 anos e hoje é nome de destaque no crescente mercado de literatura hot, voltada ao público feminino adulto. Produzi este conteúdo em março de 2021, para a Verbo Nostro Comunicação Planejada, responsável pela assessoria de comunicação do Grupo Editorial Portal.



Era uma vez uma criança que adorava ler Harry Potter, Crepúsculo e outras fantasias infantojuvenis. Aos 14 anos, ela resolveu escrever sua primeira história. Pouco mais de dez anos depois, chegou à marca de 60 livros lançados, graças a um ritmo diário de oito horas dedicadas à produção de uma obra a cada 15 dias. Abriu uma editora e se prepara para lançar um filme. Parece enredo de literatura, não é? Pois esta é a história real da autora Jéssica Macedo, 25 anos. De dentro de seu apartamento em Belo Horizonte, na companhia do marido Gabriel e de três gatos, ela produz uma série de livros de fantasia, romances de época e contemporâneos e, principalmente, obras da literatura hot, um verdadeiro fenômeno editorial entre o público feminino, vendidos em um ritmo intenso nas plataformas digitais.


Jéssica conta que estudou os anos iniciais em colégio de freiras. Na biblioteca da escola, os títulos não chamavam muito sua atenção. “Respeito muito os clássicos e hoje até os enxergo de maneira diferente, mas não se pode esperar que esta seja a melhor porta de entrada ao mundo da literatura para uma criança de dez anos”, avalia a autora. Ao trocar de escola, na sétima série, teve contato com a série Crepúsculo e todo o universo da fantasia criada pela norte-americana Stephenie Meyer. A partir dali, juntava o dinheiro que o pai dava para o lanche só para comprar livros, pedia livros de presente de aniversário, até que um dia uma amiga sugeriu: ‘por que você não escreve uma história?’. Quatro meses depois, surgia “O Vale das Sombras”, o primeiro livro de Jéssica, impresso graças ao apoio da família e com pouco mais de 200 exemplares vendidos, principalmente entre os colegas de trabalho da mãe, na Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).


Veio o curso técnico em Design Gráfico e, na hora de escolher a faculdade, claro que Jéssica escolheria Letras, certo? Errado! “Letras é algo muito voltado para o acadêmico, para o lecionar, eu já tinha experiência de ajudar minha irmã mais nova com as tarefas de casa e percebia que aquilo não era para mim, então fui fazer o curso de Cinema, pois o que eu sempre quis mesmo era contar histórias”, relembra a autora, que cursou Cinema de Animação e Artes Digitais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).


Romances para mulheres adultas

A produção dos livros não parou durante o ensino médio e superior. Lançou quatro livros por uma editora de Porto Alegre e, com eles, vieram as participações em feiras e eventos escolares, que abriram mais portas para sua literatura de fantasia, até que, em 2019, Jéssica percebeu uma tendência nas plataformas digitais de livros, especialmente na gigante Amazon: os romances contemporâneos com uma pegada erótica, a chamada literatura hot.


“Este é um mercado que abre muitas possibilidades para a mulher escrever para outras mulheres que estão em busca de histórias românticas, temperadas com doses de erotismo, mas nada de relacionamentos abusivos, como por exemplo, ’50 Tons de Cinza’. Minha literatura está mais para aquela encontrada nas bancas, como Júlia e Sabrina, que também já chegaram às livrarias. São romances para pessoas adultas, e adultos fazem sexo, embora ainda exista um grande tabu em se falar sobre isso. Mas ele não é o predominante nas histórias, é um complemento. Em um livro meu de 50 mil palavras, apenas 10 mil são descrições de cenas eróticas”, analisa a autora, que já se acostumou a figurar entre os primeiros lugares dos mais vendidos da Amazon no Brasil. Sua obra sempre figura entre os 100 maiores lançamentos no país. “Virgem Prometida”, que abre a trilogia da Máfia Bellucci, ficou seis dias em primeiro lugar do ranking nacional.


São romances para pessoas adultas, e adultos fazem sexo, embora ainda exista um grande tabu em se falar sobre isso.

Descobertas sexuais, produção independente de filhos, relacionamentos no ambiente de trabalho, casos entre homens mais velhos e mulheres mais novas e virgindade são alguns dos temas que permeiam obras como “Minha por Contrato”, “A Filha Virgem do meu Melhor Amigo”, “Um Milionário aos Meus Pés” e “Um CEO Enfeitiçado”, alguns dos títulos das seis dezenas já lançados pela autora.


Editora própria

Hoje, Jéssica é o principal nome de um time de 25 autores, a maioria mulheres, que compõem o catálogo do Grupo Editorial Portal, que ela mesma criou a partir das experiências vividas em outras editoras. Com colaboradores em Minas Gerais, no Rio de Janeiro e em São Paulo, a editora, criada em 2017, é impulsionada principalmente pelas obras da autora mineira, que viu sua produção crescer durante a pandemia de Covid-19.


“Até 2019 eu viajei muito pelo Brasil com minhas obras de fantasia, para participar de feiras literárias e eventos escolares. Desde 2020, impedida de viajar, a produção dos romances ganhou ainda mais presença no meio digital”, explica Jéssica, que usa seu perfil no Instagram, com mais de 9 mil seguidores e um grupo de 100 leitoras no WhatsApp para trocar ideias com seu público e testar o potencial de histórias. “Interagimos todos os dias, fazemos leituras coletivas. Ali pude identificar um perfil que são leitoras dos 18 aos 60 anos, casadas, divorciadas, enfim, mulheres em busca de uma literatura voltada para elas”, diz a autora.


Das páginas para as telas

Claro que a formação em Cinema de Jéssica não poderia ficar de lado, mas o ritmo intenso da escrita não dava espaço para a Sétima Arte, até que, no final do ano passado, foi procurada por um produtor interessado em suas obras. O contrato acabou não evoluindo por opção dela, mas o fato despertou a vontade de levar suas obras para as telas.


“Me uni a um amigo que tem uma produtora em Belo Horizonte, a Big Boss Produções, investimos recursos próprios e já temos cerca de 90% de gravações concluídas de ‘A Redoma’”, diz Jéssica sobre o filme de fantasia que mostra um homem e uma mulher que, ao acordarem em um lugar incerto e sem lembranças, percebem que estão em uma competição para se redimirem dos erros do passado. A cada vitória, suas lembranças vão sendo resgatadas, tudo sob os olhares de quatro reis. Imagens de magia e fantasia que tiveram parques da capital mineira como cenário e que logo devem chegar às telas. O filme será veiculado no canal da Bigg Boss no YouTube e deve chegar à internet por volta de setembro. “Tive como inspiração para esse trabalho uma plataforma norte-americana chamada Passionflix, que exibe filmes baseados em romances contemporâneos. Mas produções como essa podem ser exibidas pela própria Amazon ou mesmo em um canal próprio no YouTube”, revela a autora.


Outro filme já na mira de Jéssica para produção, também em parceria com a Bigg Boss, é “Eternamente Minha”. Assim que o longa ficar pronto, sua exibição será negociada com as plataformas de streaming. Para quem já produziu tanto em pouco mais de uma década, alguém duvida que ela vá conseguir? Basta acompanhar os próximos capítulos desta história! | Angelo Davanço

Para conhecer mais: grupoeditorialportal.com.br