• Angelo Davanço

Leandro transformou lista de dívidas em gigante no mercado de ovos

Na terceira edição da revista Empreende (fevereiro/março de 2019), entrevistei o empreendedor Leandro Pinto, dono do grupo Mantiqueira, que em 30 anos trocou a condição de ‘quebrado’ pela de maior produtor de ovos da América do Sul. Leia a matéria na íntegra a seguir. 📷 Divulgação



Um dos destaques da edição 2018 do Day1, evento da Endeavor Brasil que mostra histórias inspiradoras, foi a palestra do empreendedor Leandro Pinto, 50 anos, dono do grupo Mantiqueira, maior produtor de ovos da América do Sul e o 12º em todo o mundo.


Com sua fala simples, Leandro cativou a plateia ao contar a sua história que vai da falência à redenção. Ainda adolescente, em Itanhandu, no interior mineiro, trabalhou em banco, vendeu diversos produtos, até abrir uma loja de maquinário para o campo. “Era 1986, toda a euforia do plano Cruzado, eu tinha carro novo, pulseiras de ouro, achei que estava rico”, contou Leandro em sua palestra. Mas veio a crise no ano seguinte, ninguém comprava mais nada e ele quebrou


Em meio a um mar de dívidas, iniciando o namoro com Rogéria, fugindo das broncas do sogro por causa do nome sujo na praça, Leandro deu o primeiro passo no mercado de ovos ao trocar um caminhão e um Fiat Uno financiados por uma granja. O raciocínio na época não poderia ser mais original: “Se galinha bota ovo todos os dias, terei dinheiro todos os dias para ir acalmando os credores!”


Com a ajuda da noiva, fez uma lista de tudo o que devia e começou a trabalhar, não sem uma série de percalços pelo caminho. Em 1989, dois anos após assumir que estava quebrado, casou com Rogéria, vendeu duas correntes de ouro e pagou as últimas dívidas da lista. Aliviado, começou a expandir os negócios. Das 30 mil galinhas da granja original, saltou para 70 mil aves.


Abriu uma segunda unidade, viajou ao exterior, trouxe um novo conceito de criação de galinhas e produção de ovos, estabeleceu uma sociedade com o carioca Carlos Cunha, um antigo cliente na compra de ovos, até chegar ao maior galinheiro do mundo, instalado em Primavera do Leste (MT).


Hoje, Leandro Pinto conduz um negócio que envolve 11 milhões de galinhas, que produzem mais de 6,5 milhões de ovos por dia. São mais de 2.200 funcionários em todas as unidades da Granja Mantiqueira, em Minas Gerais, Mato Grosso e Rio de Janeiro, com distribuição para todo o território nacional, além de atender países do Oriente Médio, África e Ásia.


Na entrevista a seguir, realizada por e-mail, Leandro relembra o período de dificuldades, fala sobre como é empreender no Brasil e dá dicas para quem está quebrado ou quer iniciar um empreendimento. “Acorde cedo e durma tarde, não deixe de trabalhar pois é o trabalho que te leva para a conquista do seu sonho”. Confira:


Quando estava quebrado, há três décadas, pensou em desistir de empreender em algum momento?

Nunca! Eu tinha que nadar para tentar chegar em terra firme. Se eu parasse morreria afogado. No fundo eu sempre acreditei muito em tudo que me propunha a fazer.


O que o motivou a seguir em frente?

Eu sempre quis trabalhar para ser alguém na vida. Não queria ser um fracassado. Eu só tinha esta escolha a fazer.


Você sempre priorizou o trabalho aos estudos. Até onde foi na escola?

Fui até a 8ª série. Comecei a trabalhar aos 12 anos, lavando carros, vendendo garrafas e jornais, engraxando sapatos, mas aos 16 anos tive meu primeiro emprego de carteira assinada como office boy no Banco Auxiliar de São Paulo. Logo depois fui empreender. Primeiro fabricando carroças, depois vendendo maquinário para o campo.


Quais os conselhos para quem está em situação parecida com a sua há três décadas, ou seja, quebrado?

Confesso que foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida, pois foi na dificuldade que aprendi que no bolso cabe o dinheiro ou cabe a vaidade e foi só no momento em que estive quebrado que fui capaz de perceber isso. Aconselho a quem está nessa situação que nunca desista de seus sonhos e que tire as lições necessárias desse momento.


“No bolso cabe o dinheiro ou cabe a vaidade e foi só no momento em que estive quebrado que fui capaz de perceber isso”

Na sua opinião, o que faz surgir um empreendedor? A necessidade ou um sonho?

Sem dúvida é o sonho. Eu precisava trabalhar e produzir para tocar minha vida sozinho, mas tinha o sonho em mim de fazer o melhor, no que quer que fosse.


Quais as maiores dificuldades para se empreender no País?

Tudo! Burocracia, falta de crédito, custo Brasil, etc. Tem mais gente para atrapalhar do que para ajudar.


Como é empreender no agronegócio?

Eu sempre quis empreender em comida, pois a crise da comida dura no máximo 6 horas, o tempo de uma pessoa ter fome. E no agro, na maioria das vezes, se produz alimentos.


E o que aconselha a quem quer empreender?

O primeiro conselho é: acorde cedo e durma tarde, não deixe de trabalhar pois é o trabalho que te leva para a conquista do seu sonho; em segundo lugar, seja grato. A gratidão é uma coisa que todo empreendedor tem que carregar no peito, porque na vida do empreendedor tem sempre pessoas importantes que o ajudam. E a ingratidão é a maior falta de caráter que alguém pode ter. | Angelo Davanço

24 visualizações

© 2020-2019 por Angelo Davanço