• Angelo Davanço

Para criar público só há um caminho: a comunicação



Em seu artigo desta terça (5/11/19), na Folha de S.Paulo, o publicitário e empreendedor Nizan Guanaes toca em pontos interessantes sobre como as novas gerações mudaram o jeito de consumir as mídias. Para ele, se a cultura, para boa parte da população adulta, está nos livros, nos filmes, nas artes, na imprensa e nos profissionais que os produzem, para as novas gerações, o consumo de produtos culturais está muito mais ligado a vídeos de poucos minutos e a personalidades digitais ao alcance dos dedos. "Podemos gostar ou não desse fenômeno, mas negá-lo é querer tapar o sol com um bloqueador de sinal digital", escreve Nizan.


Ao contar sobre o case de sucesso de Kylie Jenner, uma das irmãs Kardashian, que se tornou a bilionária não herdeira mais jovem do mundo, aos 21 anos - Zuckerberg tinha 23 quando "enricou" -, o articulista mostra como a moça usou a sua popularidade e as ferramentas digitais para construir um público que, hoje, consome seus produtos de maquiagem em um ritmo alucinante. Kylie tem simplesmente perto de 120 milhões de seguidores nas redes sociais e sua empresa faturou, em 2018, US$ 360 milhões!


Para Nizan, o ato principal de geração de riqueza foi o fato de Kylie ter criado um público cativo, uma grande audiência, com a qual é possível se comunicar e fazer negócios. Por fim, ele aconselha: "O que vale para esses novos empreendedores vale para as empresas, novas ou velhas: não há sucesso sem público. E, para conquistar esse público, não bastam bons serviços e produtos. Van Gogh morreu na miséria. Para criar seu público, só há um caminho: comunicação. Na era da comunicação, empresas, organizações e lideranças que precisam nutrir seus públicos têm ferramentas incríveis à disposição (...) Estabelecer as suas verdades e só depois estabelecer o diálogo é um caminho seguro para seguir. Os aprendizados serão transformadores. Os resultados, também". 📸 Freepik

0 visualização

© 2020-2019 por Angelo Davanço